VERTENTE DO CONHECIMENTO

Esta direcionada não só para os praticantes das tradições Afro, isto é, o publico interno, como também para o público externo, isto é, para aqueles que desconhecem nossas doutrinas e as práticas umbandistas/candomblecistas e que se constituem, potencialmente, em futuros praticantes. Sem a permanente disseminação do conhecimento, de forma organizada e respeitando os princípios pedagógicos do aprendizado, com elaboração de material específico para cada público e diferentes faixas etárias, incluindo aqui a educação religiosa infanto-juvenil e em diferentes mídias e fóruns de divulgação, não haverá qualquer possibilidade para expansão das nossas tradições. As estruturas a seguir, fazem parte do suporte de infraestrutura para a disseminação do conhecimento de nossas sagradas doutrinas.

CIDADE AFRO

Obtenção de um amplo espaço físico para criação da Cidade Afro no Estado do Rio de Janeiro (no mínimo de 10 ha de área). Esse espaço se constituirá na maior referência física para os praticantes das tradições Afro. Nele constarão, entre outras estruturas:

Faculdade de Teologia Umbandista-FTU

Possui o objetivo de aproximar o conhecimento acadêmico, isto é, o lado científico das Umbandas, com a prática dos terreiros. É o binômio ciência versus doutrina umbandista.

Museu das Tradições Afro

Projeto que envolveria as relíquias históricas das Umbandas e Candomblés, a partir de suas origens, passando por suas lutas pela resistência, as influências na sociedade e o legado deixado para a construção de um novo modelo de humanidade. Poderiam ser retratadas todas as casas de axé, seus adeptos e transeuntes que, direta ou indiretamente influenciaram as comunidades de Terreiros.

Terreiros Temporários

Dentro da Cidade das Tradições Afro haverá espaços destinados aos praticantes que receberam a sagrada missão de abrirem novas Casas de axé. Terão apoio do MIRUA antes, durante e depois da respectiva legalização. Usarão estes espaços por períodos pré-determinados, tempo que terão para se organizarem e obterem imóveis para darem segmento ao trabalho fraterno nas Casas Espirituais de forma permanente.

Fábricas e outras Estruturas Físicas

Na Cidade Afro haverá espaços físicos para implantação de fábricas de doces, tortas, massas, salgados, ovos de páscoa, entre outras atividades que possam gerar receita de forma sustentável.

Biblioteca, Salas de Estudo e Auditórios

Biblioteca com obras das tradições Afro e da Espiritualidade em geral, salas de estudo e auditórios também serão infraestruturas físicas que farão parte da Cidade Afro.

MÍDIA

O movimento das tradições Afro, logo após ao devido planejamento estratégico e organizado em todas as suas vertentes, lançará mão de todas as ferramentas de mídia para a sua divulgação.

Entre esses, tem-se:

Jornal

Confecção de um jornal da religiosidade Afro, cujo conteúdo e periodicidade (no mínimo mensal) deverão ficar a cargo de um Comitê de Mídia formado por profissionais da área que podem ser requisitados dentro do próprio movimento ou contratados para esse fim.

Televisão

Programas televisivos, preferencialmente, em diferentes horários. Seus conteúdos também ficarão a cargo do Comitê de Mídia.

Internet

Programas específicos, incluindo vídeos, para transitarem pelas redes sociais do MIRUA. Seus conteúdos também ficarão a cargo do Comitê de Mídia.

CURSOS, SEMINÁRIOS, CONFERENCIAS, SIMPÓSIOS, ENTRE OUTROS.

Elaboração de ampla programação anual para cursos, seminários, conferencias e simpósios. Serão utilizadas as ferramentas de mídia para divulgação.